quarta-feira, 22 de dezembro de 2021

Comissão aprova tratamento igualitário na distribuição de recursos para C&T

Pela proposta, não poderá haver discriminação de disciplina ou área científica e no apoio à formação de recursos humanos nessas áreas

A Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática da Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei 3356/20, do deputado Mario Heringer (PDT-MG), que proíbe o governo de discriminar determinadas áreas da ciência na distribuição dos recursos públicos para pesquisa e desenvolvimento tecnológico.

A regra vale para todos os órgãos da administração pública direta e indireta que promovam, incentivem, apoiem e fomentem a ciência, a pesquisa, a capacitação científica e tecnológica e a inovação no Brasil.

Não poderá haver discriminação, preterimento ou exclusão de disciplina ou área científica nas políticas de promoção e incentivo à ciência, à tecnologia e à inovação no País e do apoio à formação de recursos humanos nessas áreas.

O texto determina que é dever do Estado promover o desenvolvimento científico, a pesquisa, a capacitação científica e tecnológica e a inovação, sem discriminação, preterimento ou exclusão de disciplina ou área científica, dando tratamento prioritário à pesquisa básica e tecnológica.

A priorização de disciplina ou área científica em qualquer modalidade de apoio ou fomento à ciência, à pesquisa, à capacitação científica e tecnológica e à inovação deverá ser motivada.

Ciência pura
O relator, deputado Félix Mendonça Júnior (PDT-BA), afirmou que o Poder Executivo não tem respeitado a prioridade a ser conferida à pesquisa científica básica e tecnológica, a exemplo da Portaria 1.122/20, que orientou os investimentos de acordo com áreas de aplicação tecnológica e com os setores econômicos que destas irão se beneficiar.

“Fica assim evidenciada, nas orientações emanadas, a perda de relevância das ciências puras, que não se associam diretamente a aplicações de escopo econômico ou tecnológico bem delimitados”, afirmou.

O deputado afirma que a priorização de investimentos em projetos de aplicação prática não pode ser levada ao extremo de cancelar o apoio à produção de ciência pura. “O projeto aprovado irá contribuir para um melhor equilíbrio na alocação de recursos a atividades de pesquisa, desenvolvimento tecnológico e formação de recursos humanos de elevada qualificação”, disse.

Tramitação
A proposta tramita em 
caráter conclusivo e ainda será analisada pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Fonte: Agência Câmara de Notícias


Nenhum comentário:

Postar um comentário