quarta-feira, 20 de outubro de 2021

Secretaria Municipal de Segurança Alimentar promove Fórum sobre vulnerabilidade social em tempos de pandemia

No Dia Mundial da Alimentação, celebrado no último sábado (16), a Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Segurança Alimentar (Semsa), reuniu diferentes grupos da sociedade para debater sobre os desafios da segurança alimentar em tempos de pandemia. A proposta de dar voz a sociedade e escutar ideias que possam agregar no combate à fome foi idealizada pelo secretário Júnior Vieira, titular da Semsa.

“Estamos abrindo novos caminhos para combater à fome. O objetivo desse Fórum é mobilizar a sociedade civil na luta pela segurança alimentar e nutricional da nossa população. Queremos agregar ideias e materializar essas ideias, pois ideia boa é quando sai do papel. Vamos somar forças nessa busca por uma São Luís mais humana e mais alimentada”, disse o secretário Junior Vieira.

O Fórum Municipal de Segurança Alimentar foi realizado no Renascença. E teve como convidada palestrante, a representante do Ministério da Cidadania, Cintia Castro de Paula – coordenadora geral de Sistemas Públicos Agroalimentares Locais.

Também participaram do evento: o secretário municipal da Pessoa com Deficiência, Carlivan Braga; o secretário municipal de Agricultura, Liviomar Macatrão; a secretária-adjunta de Segurança Alimentar do Estado, Louvidia Caldas; o presidente do Conselho Municipal de Saúde, Diogo Serra;  o vice-presidente da Câmara Municipal de São Luís, o vereador e médico Dr. Gutemberg; além de representantes de diversos segmentos da sociedade civil organizada.

Problema histórico

Durante o discurso de abertura do Fórum, o secretário Júnior Vieira, titular da SEMSA, lembrou que a fome é um problema histórico no Brasil. No mapa da fome no país, as regiões Nordeste e Norte são as mais afetadas.

Segundo o último levantamento do IBGE, o Maranhão tem a maior taxa de insegurança alimentar do Brasil.

“Pelo menos em 30% dos lares maranhenses, as famílias chegam a passar fome. Precisamos mudar essa realidade. E só vamos mudar com muito trabalho, diálogo e união”, analisou o secretário Junior.

Em outro momento, o secretário destacou os avanços da SEMSA no combate à fome em São Luís. Ele pontuou alguns programas da secretaria que se tornaram importantes instrumentos sociais da Gestão do Prefeito Eduardo Braide. Um deles é a ampliação do PAA – Programa de Aquisição de Alimentos

Há cinco anos, o PAA em São Luís atendia 93 agricultores.  Neste ano, o programa alcança a marca de 400 agricultores beneficiados com a compra dos seus produtos.

A estimativa é de que 500 toneladas de alimentos sejam compradas da agricultura familiar. E com isso, mais famílias vão receber os produtos. A ideia é levar alimento saudável para 50 mil famílias da capital maranhense.

“Com a ampliação do PAA conseguimos algo inédito na Gestão Municipal de São Luís. O programa promove o acesso à alimentação e incentiva a agricultura familiar. Essa conquista também é fruto do empenho do deputado federal Aluísio Mendes. Ele tem nos ajudado a estreitar os laços com o Ministério da Cidadania. Mas todas essas ações só são possíveis pela confiança e liberdade de trabalho que foi me dada pelo prefeito Eduardo Braide. Prefeito, obrigado por essa missão de ajudar a população ludovicense”, disse Júnior Vieira.

Cronograma

Integram as ações do plano da SEMSA para o próximo ano: a criação do Banco Municipal de Alimentos para combater o desperdício; a instalação de cozinhas comunitárias em pontos estratégicos de São Luís; atualizar o Plano Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional – PLANSAN; Reativar a CAISAN/Municipal, entre outras ações.

Fonte: O Estado

Nenhum comentário:

Postar um comentário