sexta-feira, 15 de outubro de 2021

Dia Nacional da Vacinação: imunização é a principal arma na luta contra epidemias

As vacinas são responsáveis por salvar a vida de 3 milhões de pessoas todos os anos contra doenças como difteria, tétano, coqueluche, gripe e sarampo

Neste domingo (17), o Brasil celebra o Dia Nacional da Vacinação, data estabelecida no calendário nacional como forma de lembrar a população da fundamental importância das vacinas no controle e prevenção de epidemias. Num cenário de enfrentamento à COVID-19 e de luta pela superação da pandemia, a data ganha um significado especial por ajudar a combater não apenas o Coronavírus, mas também a desinformação e as fake news.


VACINAÇÃO E SAÚDE

A data para a comemoração do Dia Nacional da Vacinação foi criada pelo Ministério da Saúde para ampliar a confiança da população brasileira na eficiência das vacinas como método mais eficaz no combate e controle de diversas doenças. Considerado referência mundial em vacinação, o Brasil, ao longo dos últimos dois séculos, solidificou nas vacinas um triunfo da ciência em nome da saúde.

As vacinas são responsáveis por salvar a vida de 3 milhões de pessoas todos os anos contra doenças como difteria, tétano, coqueluche, gripe e sarampo. Quando somos vacinados, protegemos a nós mesmos e a toda a comunidade. Disponibilizadas gratuitamente por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), as vacinas são ainda um benefício democrático que atende a toda a população.

COVID-19

Com o surgimento do Coronavírus, em março, o mundo parou, e, para retomá-lo a algo próximo do que era antes da pandemia, cientistas do mundo inteiro aceleraram a descoberta e fabricação de uma vacina para evitar a proliferação da doença, processo que costuma ser lento e rigoroso. A rapidez com que a vacina surgiu suscitou dúvidas e fez nascer um campo para proliferação de desinformação, fake news e movimentos antivacina.

Apesar disso, a ciência vem vencendo e, a cada dia, milhares de novos brasileiros são imunizados. Graças à crescente taxa de imunização, a curva de mortes por Covid-19 vem caindo proporcionalmente no Brasil e no mundo, demonstrando que a vacina é, de fato, a melhor forma de vencer o vírus.

O vice-presidente da Câmara, o vereador Dr. Gutemberg (PSC), destacou a importância da data e relembrou que todos os maranhenses devem se vacinar. “A vacina significa imunidade e saúde. São Luís, a capital da vacinação, tem se destacado nacionalmente, mas todos precisam participar e continuar tomando as doses. Só assim venceremos a pandemia. Precisamos acabar com as fake news, pois todas as vacinas são eficazes. Vacina no braço! Só assim ganhamos esse jogo”, disse.

COMO SÃO FEITAS AS VACINAS

As vacinas são produzidas com componentes dos próprios microorganismos que causam a doença, sendo, geralmente, versões enfraquecidas ou mortas desses micro-organismos, que ativam os anticorpos ao serem injetadas. Dessa forma, na próxima vez em que o indivíduo for infectado, o corpo já terá a memória de defesa, ou seja, os anticorpos específicos para combater o invasor, evitando o contágio.

Em alguns casos, não é o micro-organismo, mas, sim, uma toxina que ele produz que causa a doença, então a vacina atua para neutralizá-la. Quando é a quantidade do vírus que importa, o trabalho é para impedir a multiplicação. A vacina é produzida de acordo com a ação do vírus no corpo.


CONHEÇA O TRABALHO DA CÂMARA NA LUTA PELO FORTALECIMENTO DAS VACINAS

Ao longo deste ano, os vereadores da Câmara de São Luís atuaram em diversas iniciativas em prol do fortalecimento e disseminação das vacinas na capital. Conheça algumas:

Fonte: Câmara Municipal de São Luís

Nenhum comentário:

Postar um comentário