segunda-feira, 20 de setembro de 2021

Museu da Memória Audiovisual do Maranhão (MAVAM) é homenageado na abertura do 44º Festival Guarnicê de Cinema


O Festival Guarnicê de Cinema estreou sua 44ª edição na noite desta sexta-feira (17), no Teatro Arthur Azevedo, localizado no Centro Histórico de São Luís, com homenagem a grandes contribuintes do cinema no Maranhão e no Brasil, entre eles, o Museu da Memória Audiovisual do Maranhão (MAVAM), representado na ocasião pelo diretor da instituição, o cineasta Joaquim Haickel. O festival é uma realização da Universidade Federal do Maranhão (UFMA) e acontece até o dia 24 deste mês.

Primeiro homenageado da noite, o MAVAM está vinculado à Fundação Nagib Haickel e, desde 2010 – ano de sua criação, é considerado o principal polo de memória, documentação e pesquisa da história do estado, reunindo um acervo composto por filmes, documentários, fotografias (em suporte digital), fitas, discos, gravações de rádio, gravações de TVs e toda uma gama de materiais de áudio e vídeo em diferentes gêneros, aporte que justifica a homenagem recebida.


" A sensação de ter um trabalho homenageado é de grande satisfação, porque quando instituições como a Universidade Federal do Maranhão, através do Departamento de Assuntos Culturais, e o Festival Guarnicê de Cinema reconhecem que a gente faz uma grande obra, que a gente realiza um grande trabalho, é gratificante, você fica feliz exatamente por isso, porque alguém está vendo o que a gente está fazendo”, destacou Joaquim Haickel, diretor do MAVAM, cineasta e secretário municipal de Comunicação de São Luís.

Além do MAVAM, também foram homenageados na noite de abertura do Festival Guarnicê de Cinema, as funcionárias da UFMA e integrantes da equipe de produção do festival, há mais de 20 anos, Cleide Ribeiro Carneiro e Sandra Maria Saraiva Pinheiro. O quarto e último homenageado da noite foi o cineasta Sérgio Rezende, consagrado diretor do cinema brasileiro.


Considerado o mais tradicional evento do audiovisual maranhense, o Festival Guarnicê de Cinema é, também, o quarto mais antigo festival de cinema do Brasil, sendo realizado há 44 anos pela UFMA. Além de mostras competitivas locais e nacionais, envolvendo curtas e longas-metragens, dentre outras, também tem por objetivo reconhecer grandes nomes para o cinema, como o MAVAM no Maranhão.

“Esse é um dia memorável e festivo. O cinema é algo que traz magia para nós. Que ele continue vivo e que possamos, no futuro, promover cada vez mais edições criativas que possam atender a expectativa daqueles que amam o cinema” disse o reitor da UFMA, professor doutor Natalino Salgado. “O Guarnicê, hoje, se reinventa, está no mundo. Não é mais um festival só do Maranhão nem do Brasil” completou a pró-reitora de Extensão e Cultura da UFMA, professora doutora Zefinha Bentivi.

MAVAM


O MAVAM tem atuado no Maranhão como uma usina de memória audiovisual, registrando, guardando e disseminando as histórias que são a base da cultura do estado e fruto das reflexões sobre o mundo.

Tem se dedicado, ao longo de uma década, à preservação, disponibilização e integração de um acervo representativo de interesse permanente composto pelo registro dos saberes que caracterizam um povo, uma cultura e seu tempo.

Seu acervo, essencialmente documental e digital, é organizado e armazenado em banco de dados e de imagens, permitindo rápido acesso, inserção e relacionamento dos conteúdos gerados ou compartilhados com outras instituições detentoras de acervos de interesse cultural.

Fonte: Daniel Matos

Nenhum comentário:

Postar um comentário