sábado, 21 de agosto de 2021

Para fugir do constrangimento que o passado lhe traz, Brandão não cumpriu agenda com Lula


Na manhã da última sexta-feira (20), o ex-presidente Lula da Silva (PT), participou de um encontro com os movimentos sociais na FETAEMA. Durante seu discurso, deixou claro aquilo que já havíamos afirmado aqui no blog Ilha Rebelde, de que o posicionamento da legenda e principalmente do próprio Lula, é que haja uma grande coalizão liderada pelos partidos de esquerda democráticos no Maranhão liderados pelo PT, PDT, PSB, PCdoB e PSOL, evidentemente, com o senador Weverton Rocha como candidato para ocupar a cadeira de governador. 

Como Carlos Brandão foi descartado dos planos de ser apoiado por Dino, e constrangido por toda a situação, preferiu estar em outra agenda para não ter que encarar a decepção. O vice-governador esteve hoje na cidade de Itapecuru-Mirim junto com Miltinho, o ex-prefeito de São Mateus.

Segundo fontes ligadas ao Palácio dos Leões, Brandão sem outra alternativa, resolveu aceitar assumir a cadeira de Edmar Cutrim no TCE, depois de cumprir os últimos meses do mandato, quando Flávio Dino sairá para concorrer ao Senado.

Em se tratando de senado, essa foi a orientação de Lula a Flávio Dino, ser candidato a senador, que não tem mais chances de compor a chapa à presidência como vice. Em sua fala, Lula disse que quer Dino no senado, mas que não sabe por quanto tempo, talvez para tê-lo como um articulador no início do seu possível mandato como presidente, e como recompensa, o indicaria como ministro da justiça para fazer um contra ponto ao período em que Sérgio Moro foi chefe da pasta. Uma coisa se destacou, a grande habilidade política de Lula, em deixar tudo muito bem amarrado.

Definitivamente, pelo menos no Maranhão, Lula não quer nenhuma espécie de envolvimento com o PSDB, provavelmente pelo o histórico nacional da legenda e principalmente, outrora, pelas falas de ataque do então vice-governador Carlos Brandão contra os petistas. Felipe Camarão que poderia ser um bom candidato para o executivo, deve se tornar uma peça importante nesse xadrez político nas mãos de Lula, cumprindo outro papel de aglutinação.

Fonte: Ilha Rebelde 

Nenhum comentário:

Postar um comentário