quinta-feira, 26 de agosto de 2021

Braide faz acompanhamento do início da aplicação da 3ª dose contra Covid-19

A Prefeitura de São Luís saiu na frente mais uma vez e é a primeira cidade brasileira a iniciar a aplicação da dose de reforço da vacina contra a Covid-19 em idosos, conforme recomendação do Ministério da Saúde. Na capital, os primeiros a receber a terceira dose são os idosos acima de 70 anos e imunossuprimidos residentes em oito instituições de longa permanência. O prefeito Eduardo Braide acompanhou o atendimento no Abrigo de Longa Permanência para Idosos (Lar Calábria para Idosos) mantido pela Prefeitura, na manhã desta quinta-feira (26), no bairro Olho D’água. 

“São Luís fez a lição de casa muito antes do início da campanha, por isso, tem conseguido cumprir com rapidez todas as orientações do Ministério da Saúde para garantir a proteção da nossa população contra o novo coronavírus. É fundamental garantir a imunização 100% dos nossos idosos. Começamos por aqueles que moram nas instituições de longa permanência e ainda esta semana vamos divulgar o calendário para os demais públicos definidos pelo Ministério da Saúde”, assegurou o prefeito Eduardo Braide, destacando que com o planejamento feito, São Luís está pronta para atender a todas as etapas da vacinação.

São Luís é a primeira cidade do país com 3ª dose 

O Ministério da Saúde anunciou na quarta-feira (25), a aplicação da dose de reforço da vacina contra a Covid-19 no Brasil a partir do dia 15 de setembro. No entanto, São Luís antecipou o início da aplicação da dose de reforço para esta quinta-feira (26). 

Segundo o Ministério da Saúde, a vacina usada na dose de reforço deve ser preferencialmente Pfizer, mas também poderão ser utilizadas as vacinas da AstraZeneca e Janssen. 

Devem receber a terceira dose os idosos que completaram o esquema vacinal há mais de seis meses, ou seja, já tenham tomado as duas doses recomendadas até o mês de março. No caso dos imunossuprimidos, eles devem esperar 28 dias após a segunda dose para receber a terceira. Pessoas de qualquer idade poderão buscar a dose de reforço. São considerados imunossuprimidos pessoas que vivem com HIV, em tratamento de câncer ou quem passou por um transplante, por exemplo. O calendário de reforço dos demais idosos e pessoas imunossuprimidas será divulgado, em breve, nos canais oficiais da Prefeitura de São Luís nas redes sociais. 

Raimundo Francisco Alves da Silva, um dos abrigados do Lar Calábria para Idosos, tem 66 anos. Por ser paciente oncológico, ou seja, paciente imunossuprimido, ele também já recebeu a sua dose de reforço. “Eu recomendo a todos os idosos e quem não é idoso que se vacine. É muito importante para a nossa saúde”, disse. 

Fonte: Gilberto Léda 

Nenhum comentário:

Postar um comentário