segunda-feira, 22 de novembro de 2021

Prefeito Eduardo Braide e parceiros lançam programa Canteiro Escola para capacitar profissionais para as obras de preservação no Centro Histórico


Como parte das políticas de sua gestão para garantir a preservação do patrimônio arquitetônico do Centro Histórico de São Luís, o prefeito Eduardo Braide lançou, na manhã desta segunda-feira (22), o programa Canteiro Escola. Executado em parceria com diversas instituições e a iniciativa privada, o programa irá capacitar profissionais para trabalhar nas obras de restauro e preservação realizadas no Centro Histórico. 

“Quero dizer aos alunos que eles não serão apenas preparados para o mercado de trabalho, mas, sobretudo vão ajudar a preservar a nossa história e a nossa cultura. Por meio deste programa, vamos abrir uma janela de oportunidades para quem está em busca de emprego e deixar nosssa cidade mais bonita. Enquanto os alunos estiverem aprendendo, vamos escolher locais importantes da nossa cidade para serem recuperados. O primeiro deles vai ser o Mercado das Tulhas, onde vamos fazer a reforma de toda a parte externa. Esta é mais uma parceria muito importante entre a Prefeitura de São Luís e a iniciativa privada. Vamos trabalhar para que ela possa ser ampliada e levada para outros locais para que nossa cidade seja cada vez melhor”, destacou o prefeito Eduardo Braide. 


A vice-prefeita de São Luís, Esmênia Miranda, disse que o programa Canteiro Escola terá um importante alcance social. “O compromisso desta gestão é cuidar da cidade e das pessoas que moram nela. Com esse curso, vamos dar a oportunidade para que as pessoas possam se qualificar e estejam mais preparadas para disputar uma vaga de emprego. Com a pandemia, muita gente acabou ficando com dificildade, inclusive, para estudar, então, esse programa também tem uma importância social muito grande”, disse. 

Parcerias

O programa será executado pela Prefeitura de São Luís, por meio da Fundação Municipal de Patrimônio Histórico (Fumph), em parceria com o Sindicato das Indústrias da Construção Civil do Maranhão (Sinduscon-MA), Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (Fiema), Serviço Social da Indústria (Sesi), Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-MA). 

A presidente da Fumph, Kátia Bogéa, afirmou que o programa implantado em São Luís é uma iniciativa pioneira. “Já tivemos iniciativas semelhantes em diversas cidades brasileiras, mas o formato do programa que estamos implantando em São Luís, é uma parceira inédita entre o poder público e a iniciativa privada. Nós temos mais de 4 mil imóveis tombados, seculares, que periodicamente necessitam de serviços de conservação. Então, temos um mercado de trabalho em aberto que precisa de profissionais capacitados”, ressaltou. 

O presidente da Fiema, Edílson Baldez, afirmou que a construção civil do estado ganha um parceiro importante, que é o programa Canteiro Escola. “Por meio do programa, será possível suprir o déficit de mão de obra especializada no setor, pois os profissionais que serão formados por este curso serão especialistas em obras de restauro e preservação, que é uma dificuldade que enfrentamos na construção civil do estado. Esta será a primeira de diversas turmas que esperamos formar em parceria com a Prefeitura”, lembrou. 

Fábio Nahuz, presidente do Sinduscon-MA, informou que o curso vai contribuir para movimentar a cadeia da construção civil. “Este programa terá uma dimensão enorme e muito importante. Os alunos vão receber um diploma diferenciado, sendo especializados para trabalhar nos imóveis históricos da nossa cidade. Nós da construção civil estamos sempre precisando deste tipo de profissional e agora, em parceria com a Prefeitura, vamos capacitar pessoas para o setor”, comentou.


Curso

A primeira turma do programa Canteiro Escola tem 36 inscritos para os cursos de Pedreiro de Revestimento e Pintor de Obras Imobiliárias. Os cursos têm carga horária de 400 horas das quais 17% serão teóricas e 83%, práticas, a chamada capacitação em serviço. Os alunos receberão bolsa-auxílio de R$ 300,00, alimentação, transporte e fardamento e, ao final, terão o direito de receber certificado de Qualificação Profissional emitido pelo Senai. 

As aulas teóricas terão o objetivo de preparar os alunos para realizar serviços em imóveis localizados em sítios tombados, apresentando noções gerais sobre as técnicas tradicionais de construção e detalhes construtivos e decorativos. O aluno irá aprender desde a instalação de um canteiro de obra até a sua limpeza final, ou seja, todas as tarefas necessárias para a execução dos serviços propostos.


As aulas acontecerão no Edifício Adelino Silva, localizado na Rua Portugal, nº 152, no bairro Praia Grande, que foi adaptado para receber a iniciativa e conta com duas salas de aula, sala dos professores, almoxarifado onde serão armazenados os materiais utilizados nas aulas práticas, banheiros, entre outros espaços, para garantir toda a estrutura necessária ao aprendizado. 

As aulas serão ministradas pela arquiteta, urbanista e técnica em edificações, Elizângela Cerqueira; e o matemático, mestre de obras e mestre da Construção Civil, José Costa Sousa.

 Oportunidade

A primeira aluna inscrita no curso de Pedreiro e Revestimentos, Josiane Mendes da Silva, afirmou que o curso será uma porta de entrada importante para a sua volta ao mercado de trabalho. “Com a pandemia, muitas pessoas ficaram sem emprego e eu fui uma delas. Com esse curso a gente vai ter a oportunidade de se reinserir no mercado, estando totalmente qualificados para uma função bem específica. E a gente ainda vai ter a honra de poder contribuir para a preservação do patrimônio histórico de São Luís”, disse.


Parceiros do programa, Sinduscon e Fiema foram responsáveis pela aquisição e farão a manutenção dos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), durante a realização do curso, orientados pelo Senai. A equipe técnica da Fumph dará suporte especializado aos professores e supervisionará as aulas práticas que ocorrerão no Mercado das Tulhas. 

 Mercado das Tulhas

O Mercado das Tulhas, também conhecido como Feira da Praia Grande ou Casa das Tulhas, é o primeiro local a ser recuperado pelo programa. A construção é do início do século XIX com fachada colonial, considerado o mais antigo mercado de São Luís. A edificação integra o conjunto tombado pelo Governo Federal e fica na área declarada Patrimônio Mundial pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), desde 1997. 

Entre os serviços a serem realizados no mercado, estão intervenções em sua fachada que contemplam reboco, beirais, esquadrias, grades e pintura.

 Também participaram do lançamento do programa, o superintendente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) no Maranhão, Maurício Itapary; o diretor Regional do Senai, Raimundo Arruda; o diretor Superintendente do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas (SEBRAE) do Maranhão, Albertino Leal de Barros Filho; o superintendente Regional do Sesi, Diogo Diniz Lima; a coordenadora de Responsabilidade Social da Eneva, Elizabeth Teles; além de representantes das empresas parceiras. 

Acompanharam o prefeito Eduardo Braide durante o lançamento do programa, os secretários municipais de Urbanismo e Habitação, Bruno Costa; Turismo, Saulo Santos; Agricultura, Pesca e Abastecimento, Liviomar Macatrão.

São apoiadores do programa, as empresas:

Eneva

Equatorial Energia

Alfa Engenharia

Silveira Engenharia

Construtora Escudo

MRV Engenharia

Dimensão Engenharia

Construtora Canopus

B2O

Constans Construtora

MH Arquitetura Urbanismo e Construções


Fonte: Prefeitura de São Luís

Nenhum comentário:

Postar um comentário