segunda-feira, 10 de maio de 2021

Agentes de limpeza ameaçam cruzar os braços em São Luís

Os cerca de 1.200 agentes de limpeza, que exercem a atividade em São Luís, poderão cruzar os braços nos próximos dias. A categoria está revoltada com a empresa Slea, responsável pelo serviço de coleta de lixo, que até o momento não honrou com o compromisso firmado desde o ano passado.

Devido todas as dificuldades impostas pela pandemia provocada pela Covid-19, ficou decidido que a partir de 1º de Março desse ano, seria repassado aos trabalhadores, reajuste salarial de 3,92%, o que não foi aplicado. Em relação as negociações referentes a 2021, até o momento, não avançaram.

O Sindicato de Asseio e Conservação de São Luís, encaminhou a empresa Slea, entre outras cláusulas, a seguinte proposta: 8% de reajuste de salário; ticket alimentação no valor de 800 reais; cesta natalina de 800 reais; auxílio creche de 300 reais, além da manutenção de plano de saúde e odontológico.

Na semana passada, houve uma reunião virtual entre os representantes da empresa Slea, do município de São Luís, por meio da Semosp e do Sindicato de Asseio e Conservação. Na ocasião, nenhuma contraproposta foi apresentada, ou seja, sem nenhuma resposta positiva aos trabalhadores.

Diante desta situação, o Presidente do Sindicato de Asseio e Conversação de São Luís, Honesio Máximo, informa que ainda esta semana, a categoria será convocada para uma Assembléia Geral. Se os empresários permanecerem irredutíveis e não atenderem as reivindicações, os trabalhadores irão cruzar os braços, paralisando o serviço de coleta de lixo em toda a São Luís.

Por Diego Emir 

Nenhum comentário:

Postar um comentário