quarta-feira, 23 de dezembro de 2020

Monografia discute contexto histórico-discursivo da fundação do curso de Comunicação Social da UFMA


“Embora os estudos sobre história da mídia, da imprensa e dos primórdios da comunicação social no Maranhão apresentem substanciosas conclusões, ainda há muito que explorar nesse contexto”, afirma o estudante Lucio Silva de Jesus, do Curso de Comunicação Social da Universidade Federal do Maranhão, durante a defesa de sua monografia, na tarde desta quinta-feira (17), que obteve a nota máxima com louvor, uma ação tradicional de professores doutores de elogiar e enaltecer a qualidade de trabalhos acadêmicos. 

O título da pesquisa é “Curso de Comunicação Social: um contexto histórico-discursivo da fundação do Curso entre 1969 e 1971” e, para chegar às suas conclusões, o aluno catalogou e analisou 1377 páginas de jornais da época da fundação das primeiras Escolas e Cursos de Comunicação Social do Estado do Maranhão. 

O aluno colocou que embora as imposições ditatoriais nessa época assolassem o país, a partir de 1964 e, sobretudo em 1968, o Brasil conseguiu expandir seu poderio de infraestrutura em telecomunicações a partir de 1970, o que demandou a criação de diversos cursos profissionais de comunicação pelo país, a fim de atender ao vasto mercado de trabalho nessa área. 

Em 1970 surgiu o curso de Comunicação Social na antiga Fundação Universidade do Maranhão e as aulas eram ministradas no Instituto de Letras e Artes (ILA), na praça Gonçalves Dias, que atualmente abriga o curso de Medicina da instituição. 

A formação em Comunicação Social da UFMA era, inicialmente, composta pelos cursos de Jornalismo e Relações Públicas. Somente no ano 1986, seria implantada a habilitação de Radialismo. Desde seu início, a graduação apresenta constante evolução. Atualmente, estão ativos quase 400 alunos. O Departamento de Comunicação conta, ainda, com 40 professores, sendo 35 doutores e 5 mestres. Ao longo desse tempo, o curso passou por diversas reformas e, a cada ano, tem reafirmado seu compromisso com a promoção de ensino, pesquisa e extensão. 

“No começo foi muito difícil dar o primeiro passo, entretanto, minha orientadora, profa. dra. Zefinha Bentivi, me apresentou leituras importantes que despertaram meu interesse por resgatar esse contexto histórico”, destacou o aluno. 

O estudante conta que concomitante ao processo de implantação do curso de Comunicação Social da antiga Fundação Universidade do Maranhão, entre 69 e 70, houveram diversas articulações da imprensa, políticos e personalidades importantes do cenário local para criação da Escola de Comunicações do governo do Estado do Maranhão, na gestão do ex-governador José Sarney. Nesse período, marcado por fortes regulações, por conta do governo militar vigente, essa Escola foi criada como o primeiro curso de comunicações de nível superior, entretanto, foi vinculada à Escola de Administração Pública do Governo do Estado do Maranhão. 

“o jornalista local, Edson Vidigal, foi autor de um documento que, em tese, seria o projeto de uma Escola de Comunicações para o Maranhão. Em 69 foi convidado pela associação comunitária Rotary Club para apresentar a ideia a diversas personalidades da época”, finalizou o aluno. 

A monografia foi indicada para adequação a projeto de mestrado e o aluno pretende concorrer aos processos seletivos da própria instituição.



Nenhum comentário:

Postar um comentário