domingo, 29 de setembro de 2019

“Renova São Luís” : Jairzinho Filho demonstra articulação e força em evento de filiação do PRTB


“Renova São Luís” é um grupo de candidatos que tiveram expressiva votação, mas não lograram êxito nas eleições de 2016. Organizado em um movimento para eleger o maior número de vereadores no próximo pleito, pelo Partido Renovador Trabalhista Brasileiro.

Um dos organizadores e maiores entusiastas do grupo é Jarzinho Filho, advogado e empresário, filho do saudoso jornalista Jairzinho da Silva, ex-vice prefeito de São Luís.
Em entrevista ao blog Ilha Rebelde, Jarzinho afirmou que é o momento de organização e planejamento para ter bons resultados nas próximas eleições pelo PRTB, pois todos já foram testados nas urnas.
O grupo conta com professores, sindicalistas, empresários, líderes comunitários, artistas, entre outros.
O encontro do grupo ocorreu no último sábado (28), das 15 às 17hs e contou com a presença de centenas de pré-candidatos a vereador, dentre outras lideranças no município de São Luís.

“O PRTB será o partido que mais irá crescer nas próximas eleições, tanto aqui na capital quanto em todo o Maranhão. Esse é o nosso compromisso com a legenda. Porque missão dada é missão cumprida”, garante Jairzinho.

O tiro e a toga

Resultado de imagem para Ministro Gilmar Mendes; e o Dr. Janot
O grande escritor e jornalista, que modernizou a imprensa brasileira, Odylo Costa, filho, contava uma história dos antigos tempos, do início do século XX, no tempo das intervenções salvacionistas, passada com um interventor do Piauí, violento e autoritário, como eram as autoridades daquela época e naquelas circunstâncias ditatoriais. Num Tribunal do Piauí, seu pai, o Desembargador Odylo Costa, foi testemunha da invasão da Corte por um grupo de policiais, que vinha com a ordem do Governo comunicando aos desembargadores que, se concedessem um habeas corpus a um preso que o Interventor tinha mandado encarcerar, ele dissolveria o tribunal.
Mesmo sob essa ameaça, a Casa resolveu conceder o habeas corpus. Foi o quanto bastou para que a polícia entrasse no recinto da Corte, caísse de tiros e dissolvesse a sessão.
Contava Odylo que, graças à prudência do seu pai, eles ainda o tiveram vivo por muitos anos, para alegria de toda a família. É que o velho Odylo, sentindo o clima, foi um dos primeiros a retirar-se. Muito mal dera-se um colega seu, retardatário, que saiu correndo, teve sua toga presa na maçaneta de uma porta e, sem olhar para trás, gritava: “Me larga, soldado, que eu votei contra o habeas corpus.” Outro colega, menos prudente, pegou um tiro nas partes pudendas.
Odylo, numa crônica deliciosa para o “Diário de Notícias”, do Rio de Janeiro, contou esse episódio, que já deve ter uns cem anos.
Recordei-me desse fato pensando que isso era um fóssil jurídico da história da magistratura no Brasil. Não é que agora, para perplexidade nacional, um ex-Procurador-Geral da República diz que foi a uma sessão do STF preparado, com premeditação e bala na agulha, para matar um ministro do Supremo Tribunal Federal. Fato que, graças a Deus, não aconteceu, para a sorte do País, mantendo presente e defendendo os direitos individuais o Ministro Gilmar Mendes; e o Dr. Janot, tomando tranquilamente seu aperitivo, quando podia, por um gesto de ira, ter ido fazer companhia ao colega Fernandinho Beira-Mar no complexo da Papuda.
E nós nos lembramos do provérbio do rei Salomão, que diz: “Nada existe de novo debaixo do sol.”
Mas, certamente, o velho Odylo nunca teve medo da bala dos seus colegas, nem dos representantes da sociedade, função do Ministério Público.
Agora eu acho que, por prudência, como tinha aquele velho magistrado piauiense, não só os juízes, mas também os advogados, devem apegar-se com os santos e com o cumprimento do Estatuto das Armas, exigindo que a Polícia não admita porte de armas nos tribunais e em nenhuma das serventias judiciais, porque senão, em vez de surgir a Justiça que todos vão buscar, pode-se encontrar a bala, que, em vez da vida, traz a morte.
E a deusa da Justiça, que está à frente dos tribunais com os olhos vedados, deve tirar a venda, porque senão ela pode ser atingida por uma bala perdida.
Por José Sarney

Os idiotas úteis de Flávio Dino


Os militantes do presidenciável e governador comunista do Maranhão, que ainda usam termos como “oligarquia”, “Sarney nunca mais”, “câncer da política” e outros choros juvenis mesquinhos, estão em descompasso com o seu líder. Dino, que chegou onde chegou utilizando-se do contraponto agressivo ante os governos que o precederam, hoje quer passar a imagem do pacificador do Brasil. Ele pretende liderar uma “ampla frente pela democracia e contra pensamentos ditatoriais”. Mas esbarra-se no seu passado de radicalismos aqui no Maranhão.
Para tentar corrigir seus erros, Flávio Dino tem manifestado cotidianamente seu apreço por José Sarney. Um político e intelectual que goza de respeito e prestígio no cenário nacional por ter sido o responsável pela redemocratização do Brasil. Ao mesmo tempo cessaram os ataques contra o grupo do ex-presidente, em especial à ex-governadora Roseana (que também foi muito caluniada e injustiçada). Será que Dino combinou com os seus seguidores mais radicais, aqueles que repetiam como mantra a luta contra a “oligarquia no Maranhão”, que um dia ele iria exaltar Sarney em entrevistas pelo Brasil visando um projeto eleitoral nacional? Certamente não combinou com seus idiotas úteis que estão a um passo atrás do comunista e logo o seguirão em uma nova cruzada retórica.
O talento político do ex-presidente e imortal sempre foi algo inquestionável aos homens e mulheres que pensam a política com o cérebro. Concordar ou discordar dele não permite desprezar sua importância política e seu trabalho pelo Maranhão e pelo nosso país. Apesar disso, por décadas José Sarney teve sua importância negada por seus adversários no Maranhão puramente por briga de poder.
Dizem os mais sábios que o tempo e a história se incumbe de retratar todas as injustiças cometidas no presente. Nos últimos dez anos Sarney vem obtendo sua redenção histórica. Lembro de, ainda bastante jovem, ver os ataques da esquerda contra o ex-presidente. Ao chegar no poder, Lula abraçou-se a ele para poder fazer um primeiro mandato bastante elogiado. Em 2009 disse Lula: “Sarney tem história no Brasil suficiente para que não seja tratado como se fosse uma pessoa comum”.
Ali foi reparada uma das grandes injustiças cometidas pela esquerda no seu trajeto antes de chegar à Presidência da República. Mais recentemente o presidente Bolsonaro bateu continência e disse em tom de admiração: “Sarney garantiu o 13O salário e o não contingenciamento dos recursos destinados aos militares”. Flavio talvez não bateu continência, mas certamente pediu benção quando foi educadamente recebido pelo ex-presidente em sua casa em Brasília, afinal se não fosse Sarney seu partido, o PCdoB, ainda estava na clandestinidade.
Do meu lado, sinto um regozijo ao ver a história do meu avô ser reconhecida por aqueles que o difamaram, mesmo que tenham um interesse pessoal os motivando. Para aqueles que continuam com o discurso do anti-sarneísmo, cabe informar que até mesmo os que realmente se beneficiaram com ele, agora já o consideram ultrapassado. Mas tudo no seu tempo, o idiota útil precisa de uma nova narrativa para se locupletar.
Por Adriano Sarney

sexta-feira, 27 de setembro de 2019

Imposto e tabu governista


A questão de impostos versus chegada de empresas ao Maranhão ainda permanece em debate. O assunto esquentou após o secretário estadual de Indústria e Comércio, Simplício Araújo, afirmar que o senador Roberto Rocha (PSDB) “torce contra o estado” por ter apontado a impossibilidade de implantação de uma cervejaria no Maranhão por causa da elevada alíquota do ICMS praticada no estado.
Rocha respondeu ao secretário. Garantiu que não há torcida contra o Maranhão, mas tão somente a constatação de que o imposto cobrado no estado é um dos mais altos e os incentivos fiscais dados até o momento pela gestão de Flávio Dino (PCdoB) praticam a concorrência desleal.
Mas o que chama atenção em todo o debate é que o governo comunista tem justificativas aceitáveis sobre a redução do ICMS para cervejas produzidas de mandioca, porque a produção deste tipo de produto contribui com a cadeia produtiva que vai desde o pequeno produtor no interior do estado até a fábrica que emprega centenas de pessoas.
Mas Simplício Araújo optou pelo caminho mais frágil (e comum, quando se trata de governo Dino) que é tentar desqualificar quem faz a crítica. E o motivo? Falar em imposto, seja sobre redução de alíquotas para aquecer a economia local, é um tabu no governo do Maranhão.
Vistos como um dos pontos mais fracos do governo, os três aumentos de impostos em quatro anos não devem ser tratados de forma alguma, mesmo quando trará benefícios à imagem da gestão.
Fim do ICMS – O senador Roberto Rocha disse ainda que, por causa do uso indevido do ICMS por governantes, ele propôs em seu relatório da Reforma Tributária o fim do imposto.
Segundo o tucano, o ICMS não tem vocação para incentivos fiscais por riscos de gerar concorrência desleal.
“Por isso, vamos acabar com o ICMS, que não é vocacionado para incentivos fiscais”, garantiu o senador maranhense.
Estado Maior

quinta-feira, 26 de setembro de 2019

ABSURDO! ESTUDANTES DA FACULDADE DE MEDICINA DA UFMA DENUNCIAM QUE COMEM NO CHÃO POR FALTA DE ESTRUTURA DA GESTÃO DE NAIR PORTELA E JOÃO DE DEUS




Recebemos uma denúncia muito séria dos alunos da área da saúde da Universidade Federal do Maranhão – UFMA que estudam e fazem estágio no Hospital Universitário Presidente Dutra – HUUFMA de que a Reitora Nair Portela junto do Pró-Reitor João de Deus retirou duas Nutricionistas para a PROAES, segundo algumas pessoas de dentro da gestão por estarem “incomodando” muito a empresa.

Além da situação vergonhosa de terem de comer pelo chão dos corredores e escadas por falta de estrutura digna, são servidas somente 300 “quentinhas” para um universo de 622 alunos que frequentam quase que diuturnamente o hospital!

Em todos os lugares o contratante dita as ordens ao contratado, porém na UFMA o que tem acontecido o contrário, a empresa contratada tem mandado no contratante, no caso a UFMA.

Enviamos as fotos que o aluno fez denunciando a situação para uma especialista em segurança alimentar e ela constatou visivelmente problema de ordem higiênico sanitário por conta de como a alimentação tem sido servida aos estudantes.

A gestão de Nair Portela e João de Deus é a recordista de processos no Ministério Público Federal no Maranhão, e essa denúncia é mais uma para a conta dessa desastrosa administração da irmã de Jefferson Portela Secretário de Segurança de Flávio Dino!

Sancionada Lei de Osmar Filho que proíbe aquisição e uso de utensílios plásticos descartáveis em São Luís


O prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT) sancionou, na tarde desta quinta-feira (26), projeto de lei, de autoria do vereador Osmar Filho (PDT), presidente do Parlamento Ludovicense, que proíbe a aquisição e uso de utensílios plásticos descartáveis no âmbito do município de São Luís. 

A nova Lei Municipal nº 6.554/19 visa preservar o meio ambiente, contribuindo para a implementação de uma nova cultura ecologicamente correta e que objetiva garantir um futuro melhor para todas as gerações. Também coloca São Luís em posição de destaque no que se refere a execução de políticas públicas sustentáveis. 

“Trata-se de uma Lei de extrema importância, que faz com que a nossa capital tenha ainda mais destaque no trabalho de preservação ambiental. A Prefeitura, ao longo dos últimos anos, obteve várias conquistas neste setor, como são os casos dos EcoPontos e o novo Aterro da Ribeira, referência no país. Parabenizo o presidente Osmar Filho por esta iniciativa que contribuirá, sobremaneira, com o trabalho que já estamos desenvolvendo”, afirmou o prefeito. 

O dispositivo veta a aquisição e uso de copos e demais utensílios plásticos descartáveis em todos os órgãos (Secretarias, Empresas Públicas e Fundações, por exemplo) da Administração Pública do Município de São Luís. A proibição estende-se a restaurantes, bares, lanchonetes, barracas de praia, ambulantes e similares, tanto da utilização, como do fornecimento deste tipo de produto. A Lei determina que os produtos plásticos descartáveis sejam substituídos por descartáveis de material comprovadamente biodegradável – aqueles aptos à decomposição natural, como papel ou de uso permanente. 

A Lei instituiu prazo de 120 dias – a partir da sua publicação no Diário Oficial do Município - para que a Administração Pública e estabelecimentos comerciais se adequem as novas normas. 

Osmar Filho explicou que o objetivo, neste período, é promover, em parceria com a Prefeitura, uma ampla campanha de conscientização. 

“Lançamos recentemente o projeto Generocidade, que visa estimular as boas práticas de preservação e cuidado com a nossa São Luís. Esta Lei soma-se a este esforço, uma vez que objetivamos acabar com o plástico, material que polui vários ecossistemas. Na Câmara, já diminuímos o uso destes utensílios e, em breve, acabaremos de uma vez. Agradeço o apoio do prefeito Edivaldo, que enxergou em nosso projeto uma ferramenta importante para contribuir com a preservação do meio ambiente e implantação de uma nova cultura sustentável”, disse o presidente. 

Ao elogiar a iniciativa de Osmar Filho, o deputado federal Pedro Lucas Fernandes (PTB) adiantou que levará para Brasília a nova Lei Municipal como forma de discuti-la e adequá-la para todo o território nacional. 

“Com este novo dispositivo, São Luís sobe no ranking das capitais que executam políticas públicas eficientes de preservação do meio ambiente”, comentou o parlamentar. 

Também participaram da solenidade de sanção da nova Lei a presidente do Comitê Gestor de Limpeza Pública, Carolina Estrela; o secretário municipal de Articulação Política, Jota Pinto; as professoras de Direito Ambiental Lorena Sabóia (UniCeuma) e Verônica Oliveira (UEMA); além de representantes dos movimentos de preservação ambiental “Mais Ação, Menos Discurso” (Cohatrac) e Sociedade Comunitária de Reciclagem do Lixo do Pirambu (SOCRELP).

Karateca ribamarense, apoiado por Jota Pinto, leva seis medalhas em campeonato sul americano


Lutador profissional de Karatê, pedreiro e pai de quatro filhos, Josimar dos Santos Garcês, de 30 anos, tinha o sonho de participar, junto com seus colegas da Academia Oyamar, do VI Campeonato Sul-Americano PKC World, realizado em Buenos Aires, Argentina, mas para isso precisava de apoio.
O primeiro pensamento do ribamarense, casado e morador da Vila Julinho, foi procurar a Prefeitura Municipal de São José de Ribamar em busca de apoio para representar a cidade e mesmo o país no campeonato onde concorrem lutadores do mundo todo. Tudo que encontrou foi um não.
Pelas redes sociais, Josimar encontrou o perfil do pré-candidato à Prefeitura de Ribamar e membro da Aliança Ribamarense, Jota Pinto, que fez jus ao compromisso firmado há uma década ao abraçar a cidade como campo de sua vida pública.
Com o apoio do ex-deputado, Josimar dos Santos pode viajar para competir. Ele e demais membros de sua academia ganharam 38 medalhas, ficando na 2ª colocação geral no quadro do PKC World.
"A gente treinou pesado e só queria uma chance de competir e mostrar pra todo o mundo o nosso esforço, mas viajar era um gasto que a gente não tinha como fazer sozinhos e o prefeito não quis nos ajudar.
Olhei o Facebook do Jota Pinto e resolvi tentar, a gente tem que tentar, e ele deu todo apoio pra gente ir competir", contou Josimar, que trouxe para Ribamar seis medalhas, uma delas de ouro.
O atleta, aliás, somará essas novas vitórias às mais de 200 medalhas conquistadas na carreira como karateca, honrarias recebidas nas mais diversas competições do esporte.
"Fui um dos deputados estaduais que mais destinou emendas voltados para o esporte, não podia simplesmente deixar o Josimar sem ajuda. Apoiar o esporte é algo que sempre fiz e que vou continuar fazendo", ressaltou Jota Pinto.
O pré-candidato tem uma longa história com apoio à atletas de vários esportes, tendo sido presidente do Moto Club, de onde se desligou em 2010 para levantar a bandeira do apoio esportivo de forma mais ampla, como deputado estadual.
A 6ª etapa sulamericana e 7ª etapa panamericana do PKC ocorreu entre os dias 18 e 22 de setembro na Argentina e os classificados, incluindo os lutadores da Academia Oyamar, estão cotados para participarem da competição mundial, na Sérvia.

Prefeitura de Morros contrata transporte escolar com empresa sem frota

Firma que não possui veículo por ser cooperativa é investigada em Itapecuru pelo MP


O prefeito de Morros, Sidrack Santos Feitosa (MDB), aluga veículos para o transporte escolar da Itacoop - Cooperativa de Transporte Escolar de Itapecuru-mirim, empresa que não possui frota registrada junto à Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), para atuar no setor de transporte. 

Entre 2017 e 2018, o executivo morruense desembolsou mais de R$ 5 milhões para custear um serviço com uma firma que não atende os requisitos legais para o objeto contrato. Ao todo, segundo dados obtidos com base em informações oficiais, a empresa matém pelos menos dez contratos com a gestão municipal, que totalizam a bagatela de R$ 5.642.840,00, conforme documento em anexo.

Além dos índicos já destacados, a administração do medebista também realizou vários aditivos com a empresa, mesmo sem ela possuir um único veículo. No entanto, para conseguir prestar o serviço na cidade, a empresa associou diversos proprietários de veículos, como revela documentos aos quais tivemos acesso.

COOPERATIVA INVESTIGADA
A reportagem apurou que a firma não possui veículo e muito menos maquinário por ser apenas uma cooperativa. Além disso, descobrimos que a companhia é investigada em Itapecuru-Mirim pelo Ministério Público (MP). Na época, segundo dados da 3ª Promotoria de Justiça daquela Comarca, a investigação constatou a total inadequação dos veículos disponibilizados contratualmente pela Itacoop ao transporte de crianças e adolescentes, gerando grave risco de evasão escolar.

A promotora de justiça Carla Mendes Pereira Alencar constatou durante as investigações, que diversos proprietários de veículos se associaram na Itacoop para que a empresa cumprisse com o objeto contrato. "Assim, faz-se necessário corrigir tal distorção, compelindo à Prefeitura promover a gradativa substituição da frota terceirizada por frota própria", concluiu a promotora.

SUPOSTO DIRECIONAMENTO
Além das irregularidades constatadas, levantamento realizado pelo blog com base em documentos oficiais aponta que a Itacoop, contratada pela prefeitura de Morros para prestar serviço de transporte escolar, pode ter sido direcionada, num suposto esquema que beneficiava empresas pré-determinadas. Durante o minucioso levantamento, a reportagem constatou ainda que foram feitos, no mínimo, sete contratos para beneficiar os envolvidos no esquema.












Imposto sobre combustível pagou obras da Máfia do Asfalto em São Luís

Mais de R$ 10 milhões de um total de quase R$ 15 mi repassados foram empenhados de 2016 até agosto deste ano

SÃO LUÍS-MA: Os repasses da Cide-combustíveis ainda não resolveram os problemas das ruas e avenidas em São Luís. Apesar dos ‘investimentos’ realizados nos últimos seis anos, ainda há problemas. Pelos números disponíveis no Portal da Transparência da Prefeitura, mais de 80% dos recursos da Cide foram aplicados, entre 2016 e este ano (mais de R$ 10 milhões de quase R$ 15 milhões).
A arrecadação dos recursos originados com o pagamento da Cide-combustíveis, contribuição paga pelos cidadãos ao abastecer seu veículo, destina-se ao financiamento da infraestrutura de transportes. A reportagem tentou apurar a arrecadação deste tributo tem sido corretamente aplicada, uma vez que a capital maranhense tem tido prejuízos em razão das más condições das vias públicas.

Ao percorrer as avenidas e ruas da cidade, nota-se as péssimas condições. Parte destes investimentos pagou obras tocadas pelas empresas Central Engenharia de Construções e Enciza Engenharia Civil, acusadas de envolvimento na chamada “máfia do asfalto”. Outra parte da Cide teriam sido aplicados em obras tocadas pela construtora Top Construção e Pavimentação.
As companhias também já haviam sido contempladas com serviços executados através de repasse do Governo Federal, por meio do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), conforme já revelamos em matérias anteriores.



Levantamento realizado pelo blog com base no Sistema de Contratações Públicas aponta que R$ 126 milhões já foram pagos pela Prefeitura de São Luís as empreiteiras para recapeamento asfáltico em diversas vias públicas do município ao longo de seis anos usando verbas do PAC e da Cide.

Os dados revelam ainda que a Enciza faturou R$ 25.154.520,52 e a Central abocanhou R$ 100.853.964,76. As empresas pertencem ao empresário José Lauro de Castro Moura, investigado pela Polícia Federal por irregularidades na aplicação de recursos públicos, caso que ficou conhecido no país inteiro como “Estradas Fantasmas”.

FIQUE POR DENTRO
O que é Cide?
As contribuições de intervenção sobre o domínio econômico (Cide), de competência exclusiva da União, foram instituídas pela Constituição Federal de 1988. A Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico relativa às atividades de importação ou comercialização de petróleo e seus derivados, gás natural e seus derivados e álcool (Cide-Combustíveis), por sua vez, foi criada por meio da Emenda Constitucional nº 33, de 11 de dezembro de 2001, pela introdução do § 4° no art. 1 77, e regulamentada em seguida pela Lei nº 10.336, de 19 de dezembro de 2001. A Receita Federal arrecada a Cide-Combustíveis. Tais valores são depositados na Conta Única do Tesouro Nacional (CTU).

Trimestralmente (janeiro, abril, julho e outubro), a Secretaria do Tesouro Nacional (STN) transfere para o Banco do Brasil 29% da arrecadação da Cide-Combustíveis do trimestre anterior. O Banco do Brasil, por sua vez, credita em contas individuais dos Estados e Distrito Federal (contas essas já existentes e vinculadas à destinação legal de financiar programas de infraestrutura de transportes) os respectivos valores que lhes cabem, segundo percentuais calculados e informados anualmente pelo Tribunal de Contas da União – TCU, em março de 2011. 25% dos valores creditados transitam então pelas contas dos Estados e são automaticamente transferidos para contas individuais pré-existentes vinculadas aos Municípios do respectivo Estado, também segundo percentuais informados pelo TCU.

Por Blog do Pedro Michel

quarta-feira, 25 de setembro de 2019

Adriano Sarney se mantém na frente dos pré-candidatos de Flávio Dino


Uma pesquisa realizada pelo Instituto Econométrica evidencia que o governador Flávio Dino (PCdoB) ainda enfrenta extrema dificuldade para emplacar pré-candidatos na disputa pela Prefeitura de São Luís, em 2020. Segundo os números apresentados, o deputado estadual Adriano Sarney (PV) exibe um percentual de intenção de votos superior ao somatório de três pré-candidatos do grupo comunista.
É óbvio que Adriano Sarney ainda é alvo de resistência de boa parte da população, porém, esse fator não inviabiliza sua pré-candidatura, uma vez que ele ainda apresenta um forte potencial de crescimento para, inclusive, chegar no segundo turno.
O que deve ser levado em consideração é que, apesar de toda a exposição e concentração de forças em cima do nome do secretário de Desenvolvimento Social, Rubens Júnior (PCdoB), ele ainda patina na casa de 1%. Outros pré-candidatos do grupo dinista se juntam ao comunista e, somados os percentuais de cada um, não alcançam o patamar de Adriano Sarney.
Adriano Sarney é mais um que pode engrossar o pelotão daqueles que estão no campo oposto ao do governador Flávio Dino e, quem sabe, apresentar desempenho que lhe coloque na disputa do segundo turno pelo Palácio La Ravardiére.

Astro de Ogum renuncia na Comissão de Ética da Câmara


“Lutarei para provar minha inocência”, diz Astro de Ogum ao renunciar vaga na Comissão de Ética da Câmara

Atitude, segundo o parlamentar, visa assegurar independência e imparcialidade para análise de possível quebra de decoro


O vereador Astro de Ogum (PL), 1º vice-presidente da Câmara de São Luís, voltou a se manifestar, ontem, em discurso na Casa, sobre a recente operação da Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic), em sua residência no Olho d’Água, que culminou com a prisão de dois de seus assessores. Em seu pronunciamento, o parlamentar negou envolvimento no âmbito da Operação Constelação, disse que não queria parecer uma vítima diante dos pares e destacou que estava “angustiado” ao ver seu nome vinculado a denúncia de pedofilia.

"Não estou aqui para ser vítima e nem quero que ninguém me olhe dessa forma. Resta a mim lutar para provar minha inocência, naquilo que estou sendo acusado. Pesou-me muito quando determinado delegado chamou o nome pedófilo. Foi pesado, foi angustiante. Foi o que mais pesou", declarou.

O vice-chefe do legislativo destacou ainda que, ao ser preso – ele pagou fiança e acabou liberado no mesmo dia –, lembrou das denúncias do delegado Ney Anderson Gaspar contra o Sistema de Segurança estadual. “Naquela época [das revelações do delegado], nem quis acreditar”, disse. Gaspar foi quem denunciou que Astro estaria sendo investigado a partir de um grampo ilegal.

NÃO EXISTE PEDOFILIA
O vereador fez ainda uma cronologia dos fatos e afirmou que inicialmente o que era investigado como crime de pedofilia, passou a ser apurado como crime tecnológico, em virtude do uso de perfil falso em rede social para atrair supostas vítimas.

O parlamentar, no entanto, negou que tenha qualquer participação nesse caso. “Um personagem criado, que eu nunca participei, não sei quem é”, disse Ogum, acrescentando que tem pouca intimidade com “mundo tecnológico” e que usa computador apenas para jogar poker.

“No mundo tecnológico eu tenho as minhas limitações, não me adequei ainda ao sistema do novo mundo tecnológico. Tenho um site no meu notebook que eu jogo pokerstars. Jogo assim que tenho um tempo. Então, na tecnologia, não tenho nada a ver com essa história”, reiterou.

RENUNCIANDO AO CARGO
Num momento de maior exaltação, voltou a negar envolvimento em “falcatruas”, se disse perseguido e renunciou ao cargo que ocupava na Comissão de Ética da Câmara. “Eu não tenho falcatruas, eu não cometo falcatruas. Sou perseguido. Hoje venho prestar contas e aproveito o momento para renunciar à Comissão de Ética que faço parte nessa Cassa. Que seja cumprido o meu pedido”, destacou.

Segundo ele, a decisão foi tomada para que o colegiado possa acompanhar com isenção as investigações da Operação Constelação. Astro, no entanto, insinuou que até agora, a Comissão não funcionou como deveria.

“Se a Comissão de Ética deve acompanhar o inquérito contra mim, que sejam tomadas as providências necessárias. De mim não haverá um pedido à Comissão de Ética para encobrir qualquer coisa da minha pessoa. Eu espero que ela funcione bem nesse caso, e que passe a funcionar também bem para muitas coisas que ja estão por aí e que devem chegar muito mais. Não faço mais parte da Comissão de Ética dentro da Câmara Municipal de São Luís”, finalizou.

As aparições de Flávio Dino


O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), mantém sua agenda nacional em busca de espaços para ser o candidato à Presidência da República em 2022. Após insistir nas redes sociais em ataques contra o presidente Jair Bolsonaro (PSL) e finalmente ser correspondido por ele, Dino iniciou uma linha crescente de “aparição” em rede nacional.
Nos últimos meses, o comunista tem sido entrevistado nos mais diversos meios de comunicação. Inicialmente, a ideia é falar sobre a gestão no Maranhão – já que esses espaços são conseguidos, principalmente, por meio de empresa que faz a comunicação do governo fora das fronteiras maranhenses -, mas, claro, acaba se voltando para as questões políticas.
Por enquanto, Dino tem, aparentemente, se saído bem nas entrevistas, até mesmo porque os questionadores não confrontam os dados apresentados pelo comunista. Um exemplo foi a entrevista no programa Roda Viva da TV Cultura. Lá, Flávio Dino criticou indicação de Bolsonaro para a Procuradoria Geral da República dizendo que no Maranhão a lista tríplice foi atendida.
O que Dino não disse é que no Maranhão, quando se tornou governador, ele ignorou a carta apresentada pelos três candidatos a comandantes do Ministério Público Estadual que pedia a nomeação do mais votado na lista tríplice. O comunista optou pelo segundo colocado.
Dino falou ainda de problemas de Segurança em outros estados deixando de citar situações graves e que foram jogadas para debaixo do tapete no estado que ele governa.
Enfim, é Flávio Dino sendo um postulante a candidato a presidente da República diferente do governador do Maranhão nos últimos quase cinco anos.

terça-feira, 24 de setembro de 2019

Othelino destaca morte de menina Ágatha e outros assuntos


No podcast “Diálogo com Othelino”, o presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, deputado Othelino Neto (PCdoB), lamenta o posicionamento do governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), após a morte de Ágatha Félix, de 8 anos, baleada pelas costas na comunidade Fazendinha, no Complexo do Alemão, na última sexta (20).
“A morte da menina Ágatha chocou o Brasil e o mundo. O governador do Rio de Janeiro transformou a morte em um instrumento de marketing dele mesmo. Banalizar a morte, como está acontecendo no Rio, é algo muito grave, que desumaniza as pessoas. E é muito triste ver que, além do governador, há quem defenda esse tipo de política, que faz da morte um instrumento de divulgação. Como se isso fosse um elemento que mostra a eficiência da política de segurança pública”, disse Othelino Neto.
O deputado lembrou que cinco crianças foram mortas no Rio de Janeiro por conta do que ele chama de “política equivocada de segurança pública” e ressalta que o número de pessoas não envolvidas com o crime, assassinadas em confronto com bandidos e policiais, aumentou.
“O aparato policial e de segurança pública é feito para proteger a sociedade e não para forjar embates, vitimando pessoas inocentes, crianças e adultos. Imaginemos quantas famílias foram dilaceradas a partir dessa política equivocada que o governador do Rio de Janeiro implantou e que promove cenas tristes, como a do governador comemorando a morte de alguém. Foi algo que chocou a todos nós, que temos a consciência de que a segurança é para preservar a vida e não vitimar inocentes”.
Mediação e Conciliação – Outro ponto abordado pelo presidente da Assembleia foi o evento do Poder Judiciário, em caráter nacional, em parceria com o Poder Legislativo, sediado nesta Casa, sobre a conciliação e mediação como meios alternativos de solução dos conflitos. Segundo o deputado Othelino, o caminho da conciliação e mediação é o que há de mais moderno no sentido de resolver as demandas judiciais.
“Ao invés de um processo durar cinco ou dez anos, a partir da conciliação se consegue chegar a um resultado, fazendo com que as partes sejam bem atendidas e assim evita aquela demora que tanto incomoda a sociedade. Portanto, o Judiciário tem investido nisso e considero este um caminho fundamental para agilizar as decisões judiciais”, enfatizou o presidente da Assembleia.
Alema em movimento – O evento “A Alema em Movimento”, que integra a campanha nacional de combate à depressão e ao suicídio, denominada Setembro Amarelo, também mereceu destaque do deputado Othelino. “Essa ação faz parte dessa preocupação com os nossos servidores, que precisam estar bem, saudáveis, para que possam dar o melhor de si”, frisou

OPORTUNISMO?? Rubens Júnior “se muda” para o centro histórico e tenta virar prefeito de São Luís

Resultado de imagem para rubens junior

O deputado federal licenciado Rubens Júnior, em entrevista ao deputado Yglesio Moises, confessou que morava em Brasília desde o seu primeiro mandato. Rubens disse que já estava acostumado a ser deputado federal, ele já tinha uma rotina Brasília, inclusive toda sua família se mudou juntamente com ele para capital federal.
“Um mandato federal deixa a gente longe das discussões municipais e estadual, por isso que quando nós tivemos a oportunidade de voltar a família voltou comigo, então meus filhos voltaram a estudar em são luís, a esposa está aqui em São Luís.” disse Rubens Júnior.
Rubens disse que é apaixonado pela cidade de São Luís, porém sua atuação parlamente na câmara federal não diz bem isso. Mesmo sendo deputado federal desde 2015, ele só apresentou uma única proposta significativa voltada para São Luís, que foi a criação da Área de Livre Comércio de São Luís. A sua proposta foi arquivada nos termos do art. 54, combinado com o § 4º do artigo 58 do RICD (Inadequação financeira e orçamentária).
Mesmo morando em Brasília, Rubens Júnior nos últimos quatro anos, teve 15 ausências não justificadas e outras 66 ausências justificadas.
Agora Rubens Junior é secretário na Secretaria das Cidades e Desenvolvimento Urbano, e de cara recebeu um orçamento de R$ 100 milhões, para empregado somente no Centro Histórico de São Luís, esquecendo assim o demais bairros da cidade.
Em seu perfil na rede social, podemos perceber que ele é o único pré-candidato que já está em ritmo de campanha.
Em vídeo divulgado na última quinta-feira (19), durante a plenária do PCdoB, o secretário Rubens Júnior afirmou ao deputado federal Márcio Jerry, que está com saudades de Brasília, mas afirma que se senti feliz onde está. Rubens solicitou ao deputado que ele tomasse de conta lá “por enquanto”.
Dos 16 possíveis pré-candidatos a prefeitura de São Luís, Rubens Júnior é o único que não morou de fato na capital nos últimos quatros anos. Isso pode atrapalhar sua candidatura, pois ele não deve ter acompanhado o fracasso político do seu aliado Edivaldo Holanda e as mudanças que ocorreram na cidade.
Rubens Júnior seria mais um dos candidatos que vem de família política, com avô, pai e mãe que já foram prefeitos. Sem apresentar nada de novo, ele embarca no projeto do seu líder Flávio Dino.
O certo é que nunca se viu Rubens Júnior com tanta preocupação pela nossa cidade como nesse período pré-eleitoral, porém Rubens Júnior pode está em São Luís, mas parece que seu coração ainda está em Brasília.
Por Folha do Maranhão

CASO CAJUEIRO: Flávio Dino fica em saia justa durante entrevista

O diretor de redação do Nexo Jornal, Conrado Corsalette, e a correspondente da BBC News em Brasília, Mariana Schreiber, deixaram o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), em uma tremenda saia ajusta ao abordar, de forma incisiva, durante entrevista do comunista ao programa Roda Viva, da TV Cultura, a ação policial truculenta para cumprimento de uma liminar que ordenou a reintegração de posse na localidade Cajueiro, na zona rural de São Luís, para construção de um porto privado. Surpreendido pelo profundo conhecimento demonstrado pelos dois jornalistas sobre o assunto, Dino ficou visivelmente embaraçado, gaguejou e chegou a ser traído pelas palavras.
Coube a Conrado Corsalette abrir a série de perguntas indesejáveis a Flávio Dino sobre a intervenção cruel do Estado, então representado pela PM, para expulsar as famílias do Cajueiro, ocorrida em agosto. O diretor do Nexo Jornal indagou ao governador se a truculência policial e o silêncio dele diante dos apelos para que interferisse em favor da comunidade não seria o descompasso entre o seu discurso no plano nacional e a prática.
Diante da consistência dos fatos, restou ao comunista reafirmar o que já dissera em nível local: “o que houve foi o cumprimento de uma decisão de reintegração de posse. Nós fizemos todo o processo de mediação”, declarou, omitindo que se negou a receber uma comitiva de moradores do Cajueiro, que chegou a fazer vigília em frente ao Palácio dos Leões e foi expulsa com bombas de efeito moral e balas de borracha pela tropa de choque.
Mas, ao continuar a resposta, Flávio Dino expressou claramente o seu desejo de ter poderes absolutos. “Lamentavelmente, chega um certo momento que o governador não é ditador. Eu não tenho o poder de anular uma ordem judicial. Eu não tenho o poder de impedir o cumprimento de uma ordem judicial”, assinalou. E foi além, deixando transparecer ainda mais sua tendência totalitária. “Lamentavelmente, são Três Poderes no Estado”, queixou-se, para em seguida contradizer-se duas vezes ao enfatizar que seu governo tem tido muito cuidado no cumprimento de reintegrações de posse. Primeiro porque tal cautela não foi percebida no caso do Cajueiro. Segundo, por dar a entender, na mesma frase, que detém o poder que momentos antes havia garantido que não tem.
Culpa no governo anterior e na polícia
Com uma sequência de perguntas certeiras, Mariana Schreiber acuou ainda mais Flávio Dino. A jornalista chegou a supor que houve pouco empenho do governo em busca de um acordo com as famílias, já que tratava-se de uma liminar, que poderia ser derrubada. Citou ainda o que chamou de imbróglio político e até denúncias de grilagem de terras. Questionou, ainda, a truculência policial e a aparente ausência de normas aos policiais para que evitassem agressões aos populares.
Eximindo-se de qualquer responsabilidade em relação ao polêmico caso, Flávio Dino, como sempre atribuiu a culpa pelo impasse na Justiça ao governo anterior. Quanto a violência praticada pela PM contra os moradores, o governador preferiu atribuir ao que chamou de minoria de policiais que não seguiram o protocolo de conduta repassado à tropa.
Em meio aos temas estritamente políticos abordados na entrevista de Flávio Dino ao Roda Viva, ganharam ênfase as agressões perpetradas pela polícia a ele subordinada contra cidadãos humildes e vulneráveis. A interpretação de tal fato como negação da retórica de esquerda, calcada na defesa intransigente da justiça social, tão propalada pelo governador maranhense, também chamou atenção.
No mais, a participação do comunista no conceituado programa expôs para todo o Brasil que ele não tem lá tanta habilidade com o discurso quando confrontado por assuntos incômodos.
Por Daniel Matos

Osmar Filho prestigia assinatura de ordem de serviço da feira do Coroadinho

Osmar Filho prestigia assinatura de ordem de serviço da feira do Coroadinho
Foto: Hamilton Jr.
Uma antiga reivindicação dos moradores do Coroadinho, a feira do bairro, a exemplo do que vem acontecendo com outros mercados públicos da capital, passará, a partir de agora, por uma ampla reforma e ampliação. O presidente da Câmara Municipal de São Luís, Osmar Filho (PDT), esteve presente fazendo parte do ato de assinatura da ordem de serviço, que aconteceu nesta segunda-feira (23), no próprio mercado, com a presença de autoridades, feirantes e população local.
“Esta obra não só promoverá um ambiente mais higiênico e com mais segurança para feirantes e consumidores. Ela vai potencializar a economia local, contribuindo para a geração de emprego e renda”, destacou Osmar, parabenizando o prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT) pelo comprometimento com a cidade, transformando-a em um verdadeiro canteiro de obras.
Foto: Hamilton Jr.
O presidente do Legislativo Municipal confessou-se contemplado, na condição de vereador, pela obra que está sendo iniciada, já que também é fruto da atuação da Câmara Municipal de São Luís para que este sonho da população local se realizasse, sobretudo da luta do vereador Nato Júnior (PP), que é morador do bairro e não economizou esforços neste propósito.
Construído em 1985, o projeto da feira do Coroadinho prevê que toda alvenaria existente será demolida, dando lugar a um novo mercado que beneficiará 109 feirantes que trabalham no local, bem como todos os usuários. O prazo de conclusão da obra é de 6 a 8 meses.

O início dos trabalhos será imediato e a obra, que vai possibilitar a oferta de um espaço mais adequado aos feirantes e consumidores, integra um conjunto de ações do programa São Luís em Obras e soma-se às demais iniciativas que vêm sendo desenvolvidas para melhorias estruturais que estão sendo realizadas em mercados públicos da capital, a exemplo do Mercado das Tulhas, onde a Prefeitura de São Luís já iniciou os serviços de revitalização do espaço.
Também participaram do evento o vice-prefeito Júlio Pinheiro; os secretários municipais Antônio Araújo (Obras e Serviços Públicos), Ivaldo Rodrigues (Agricultura, Pesca e Abastecimento), Maluda Fialho (Meio Ambiente) e Nonato Chocolate (Relações Parlamentares); os vereadores Joãozinho Freitas (PTB), Osvaldo Miller (PT), Beto Castro (Pros), Pavão Filho (PDT), além da presidente do Sindicato dos Feirantes, Ivanilde Sampaio e da coordenadora do Mercado do Coroadinho, Miúda.