segunda-feira, 25 de fevereiro de 2019

Desembargador Rachid deveria ter pedido suspeição em julgamento do “carnaval”

Rachid mantém negociação financeira em aluguel de imóveis com a Prefeitura de São Luís, e deveria ter pedido suspeição no caso

Ocorre que em audiência de conciliação conjunta realizada na Câmara Civil Isolada do Tribunal de Justiça do Maranhão, na última sexta-feira (22), em que o Ministério Público do Maranhão solicitava o bloqueio de R$ 10 Milhões do carnaval para serem investidos no Hospital Dr. Odorico Amaral de Matos – Hospital da Criança.O eminente desembargador Jorge Rachid Mubárack Maluf, deveria ter se julgado em “suspeição” no caso que envolve o Ministério Público do Maranhão contra a Prefeitura Municipal de São Luís, devido à gastança de dinheiro da prefeitura da Capital com o Carnaval deste ano.

Após defesa do município, o desembargador Jorge Rachid, que presidiu a audiência, julgou que reconhece as ações que vem sendo implementadas pela Prefeitura de São Luís para a melhoria do funcionamento da unidade de saúde.
“A Prefeitura está conduzindo essas questões com muita seriedade e comprometimento, e eu tenho certeza que com a homologação do acordo que estabelecemos nessa audiência, vamos dar solução aos problemas e fazer do Hospital da Criança uma grande casa de saúde”, afirmou o desembargador Jorge Rachid.
Ocorre que o desembargador deveria ter se julgado impedido de atuar no caso, uma vez que ele mantém negócios com a gestão municipal. Documentos obtidos pelo Blog provam que ele não deveria atuar no caso e o Ministério Público do Maranhão deve recorrer da decisão tomada pelo desembargador.
Por Filipe Mota

Nenhum comentário:

Postar um comentário