quinta-feira, 20 de setembro de 2018

MAIS COMIDA: Flávio Dino manda licitar R$ 46,6 milhões em refeições, lanches, águas, sucos e “refris”


A megacompra de comidas e bebidas publicada no DO de Flávio Dino: nunca na história do Maranhão se comeu e bebeu tanto
O governo Flávio Dino é comunista, mas quando se observa o líder maior do socialismo maranhense pondo comida à mesa, vê-se que, para ele, uns camaradas são mais “gente boa” que os outros. Tem graduados que se servem à vontade, numbuffet que tem entrada de pratos frios de saladas, cremes e mousses; duas opções de pratos principais quentes de massas, peixes, aves e carnes vermelhas enriquecidos com as respectivas guarnições, além de sobremesas com dois tipos de doces, frutas da estação, sorvetes, tortas, gelatinas, bebidas frias e coquetéis “sem álcool”.
Mas também tem uns camaradinhas menos considerados que devem se contentar com o popular “pê-efe, tipo “quentinha”, sem sobremesa, e o desengasgo é simplesmente um copo d`água de 300ml.
Essa distinção entre categorias de camaradas torna-se oficial com o edital de licitação, tipo pregão, publicado no Diário Oficial do dia 10 de julho deste ano, convocando fornecedores a se habilitarem para uma rodada de compra cujos volumes jamais se viu na história do Maranhão: R$ 46.666.419,25 referentes a 1.819.018 unidades distribuídas em 15 itens que contemplam refrigerantes, coquetéis, chás, achocolatados, sucos, sorvetes, doces, gelatinas, frutas da estação, refeições de 3 categorias, lanches, tábuas de frios, patês, bolos, crepes, tortas, canapés, quiches, tarteletes e mousses.
Não só pela especificidade requintada de muitos dos itens, a compra governamental chama a atenção pela quantidade e preços sugeridos num dos anexos do edital do processo 0047924/2018. Se dividisse com toda a população maranhense as 1.819.018 unidades de bebidas e comidas que vai comprar, Flávio Dino daria 26 unidades para cada grupo de 100 pessoas. Difícil é imaginar que tudo isso será comido e bebido só por quem está dentro do governo – talvez isso explique tanta obesidade que se observa no Palácio dos Leões.
As refeições mais requintadas custam R$ 63,75 por cabeça. Já os “pê-efes” da galera do baixo clero estão sugeridos a R$ 15,50 a unidade, ou seja, um camaradinha de Flávio Dino enche o bucho com menos de 1/4 do que vale um prataço que sacia um camaradão.
Vários tipos de comes e bebes despertam curiosidade, mas um deles, em especial, custa R$ 15,5 milhões, valor de um jatinho. São os 518.440 lanches descritos no item 05 do Anexo I-A do edital publicado no Diário Oficial, a R$ 30 cada um.
No item 04, outros 518.440 lanches custam mais R$ 9,5 milhões, ou seja, outro jatinho. São um milhão e trinta e sete mil lanches, coisa para servir 20 vezes uma lotação completa do Estádio do Maracanã.
Recortes do Diário Oficial de 10 de junho de 2018:
camaradas discriminados
Por Daniel Matos

Nenhum comentário:

Postar um comentário