quarta-feira, 12 de setembro de 2018

Caso Roseana seja eleita ele receberá o governo como ela deixou para o seu sucessor?



É preciso recordar os números de quando Roseana deixou o governo para assumir, em dezembro de 2014, o então presidente da Assembléia Legislativa Arnaldo Melo. Os números ditos pela ex-governadora Roseana podem ser comprovados através de pesquisas dos institutos que mensuram os índices de desenvolvimento.
Ações do governo
Números: 2,3 milhões de maranhenses saíram da pobreza absoluta; 500 mil jovens se habilitaram em cursos profissionalizantes; Maranhão tem hoje a 16ª economia do país e a 4ª do Nordeste, com um PIB de 58,8 bilhões de reais em 2012; o PIB per capita passou de R$ 6.259,00 em 2009 para R$ 8.760,00 em 2012. A participação do estado no PIB nacional cresceu de 1,23% para 1,34% nesse período; o estado cresceu a uma taxa média de mais de 10% ao ano.
Outros resultados alcançados nos últimos anos e citado em seu discurso foram nas áreas da agricultura familiar, distribuindo títulos de terra, equipamentos agrícolas e sementes; o Programa de Desenvolvimento de Fornecedores, que já movimentou 18,8 bilhões de reais, abriu milhares de oportunidades de ocupação em centenas de empresas; o Meu Primeiro Emprego, estágio remunerado que facilitou o acesso ao trabalho formal para 15 mil jovens; o Maranhão Profissional, que já qualificou mais de 400 mil pessoas em todo o Estado; o Pré-Vestibular, que oferece este ano 25 mil vagas para candidatos a um curso universitário; os cursos profissionalizantes da Univima; o Centro de Empreendedorismo da UFMA; os Centros de Capacitação Tecnológica; e o Polo Tecnológico do Centro Histórico.
“Entre os grandes projetos em operação merecem destaque a duplicação da refinaria do consórcio Alumar; a hidrelétrica de Estreito; as termelétricas do grupo EBX, hoje pertencentes à ENEVA; a aciaria do grupo Guza Nordeste; o Pier 4 da Vale; a fábrica de celulose da Suzano; a mineração de ouro da Aurizona e a duplicação das fábricas de bebidas da Ambev e da Psiu”, destacou.
O complexo portuário do Itaqui recebe investimento de R$ 578 milhões do Consórcio Tegram, com 4 armazéns de 125 mil toneladas. Os portos maranhenses respondem por 14% da movimentação das cargas brasileiras. Parques empresariais, dos quais já foram entregues os de Grajaú, Timon, Imperatriz, Caxias e Balsas, e nove outros estão em estudo. Trabalha na infraestrutura das 21 microrregiões maranhenses. Programa de pavimentação de vias urbanas em todos os municípios do Estado e a construção de mais de mil quilômetros de novas estradas. Todas as cidades maranhenses estarão ligadas por asfalto.
“Somos o 2o produtor de soja do Nordeste e o 8o do Brasil. Em arroz, o primeiro do Nordeste e o 5o do Brasil. O Maranhão se tornou zona livre de febre aftosa, liberando para exportação o 2o maior rebanho do Nordeste e o 11o do Brasil, com 7,5 milhões de cabeças”, revelou Roseana Sarney.
Obras em São Luís
Em São Luís destaque para a construção da Via Expressa e a Avenida IV Centenário, que modifica as condições da mobilidade urbana e melhora o trânsito de capital. O espigão da Ponta d’Areia e o Parque da Cidade, no complexo de Itapiracó, criam mais áreas de lazer e pontos turísticos na capital.
Ainda em São Luís, o Programa Viva Internet fornece acesso gratuito à rede sem fio, já contando com mais de 51 mil usuários cadastrados e 5,5 milhões de acessos. O PAC – Cidades Históricas irá recuperar 44 prédios públicos, investimento de 130 milhões de reais.
Um conjunto de obras no sistema de segurança pública incorpora desde Unidades de Serviços Comunitários, presídio feminino, unidades prisionais modulares em São Luís, Coroatá e Açailândia, abrindo mais 864 novas vagas, reformas em delegacias e aquisição de veículos e equipamentos.
“Cumprimos rigorosamente a Lei de Responsabilidade Fiscal e os nossos indicadores são reconhecidos pela Secretaria do Tesouro Nacional, do Ministério da Fazenda, como um exemplo de gestão responsável. A relação entre Dívida Consolidada Líquida e Receita Consolidada Líquida caiu de 0,91 em 2007 para 0,41 em 2013, muito abaixo do limite permitido pela Lei de Responsabilidade Fiscal, que é de 2. As despesas com pessoal estão abaixo dos limites fixados”, garantiu Roseana.
Saúde
Na Saúde foi realizado o maior programa em execução no país. Foram entregues Hospitais de Pequeno Porte, com 20 leitos; UPAS – Unidades de Pronto Atendimento; hospitais de 50 leitos e de 100 leitos. Essas instalações estão distribuídas em todo o estado. Em São Luís, o Hospital de Alta Complexidade Dr. Carlos Macieira foi reformado, ganhando novos leitos de internação e de UTI e novos equipamentos. Temos um centro especializado para o atendimento de pacientes com câncer, o Hospital do Câncer. São mais 1.130 leitos novos na rede. Os médicos em São Luís passaram de 730 para 948 e no interior do estado de 230 para 707. São mais de 15 mil agentes comunitários de saúde e quase duas mil equipes de saúde da família.
Por Caio Hostílio

Nenhum comentário:

Postar um comentário