quarta-feira, 25 de novembro de 2015

QUEDA: SERVIÇOS TEMPORÁRIOS NO COMÉRCIO ESTÃO EM BAIXA ESTE ANO!


Por: O Imparcial

O fim do ano é uma oportunidade para quem quer trabalhar nas vagas temporárias, mas, com a onda de crise no país, o efeito é inverso e até no mês de novembro houve demissões.

“Efeito Inverso”! Essa é a atual situação que atravessa o setor de comércio em relação às contratações no fim do ano. A demissão no comércio de São Luís tomou o lugar das tão almejadas admissões temporária, onde aumenta a movimentação no comércio e consequentemente precisa-se de mais funcionários.

Com esta crise que o país atravessa que afetou o comércio de forma letal, as lojas estão funcionando com o quadro reduzido entre 10% e 20%. Segundo o levantamento feito pelo Sindicato dos Empregados do Comércio em São Luís, o Sindcomérciários, de fevereiro até julho deste ano, houve o triplo de demissões em relação a 2014, e sem contratações até o momento para as datas festivas do fim de ano.

De acordo com Oswaldo Muller, presidente do Sindcomerciários, duas lojas já fecharam as portas: By Express (vestuário), localizada na Rua Grande, e Cauê (veículos), na Areinha, por conta da crise e de questões administrativas. “Devido à situação econômica do país atualmente, a inflação alta afetou o estado, a cidade e todos os segmentos, gerando demissões. Setores como os de vestuário, calçado, eletro-eletrônicos, carros, materiais de construção foram os mais afetados. O setor que sofreu menos perda foram os do ramo de alimentação”, disse Oswaldo.

Sobre admissões, o comércio ainda não está contratando. As lojas se encontram com o quadro de funcionários reduzidos de 10% a 20%%. O sindicato dos comerciários não descarta a possibilidade de admissões ainda este ano, mas somente a partir de dezembro, mês em que aumenta a procura dos consumidores.

Caso haja contratações, os admitidos temporariamente terão o direito de um trabalhador efetivo, incluindo carteira assinada, jornada de trabalho, direito a intervalo, transporte, alimentação e 13º salário. Dependendo dos dias trabalhados contará também com acompanhamento do sindicato dos comerciários, no sentido de orientar profissionalmente esse trabalhador.

Sobre a previsão quanto às vagas temporárias para o fim de ano, a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Maranhão a (Fecomércio-Ma) afirma que já projetava um momento desfavorável para as contratações de empregados temporários no comércio este ano.

Sobre as contratações ou vagas disponíveis em relação ao ano passado, o comércio superou as expectativas de contratações temporárias o responsável por absorver cerca de 70% dos novos admitidos, principalmente as lojas localizadas em shoppings.

Previsão de vagas disponíveis, caso se houver, a previsão é que o comércio varejista restrito (aquele que não engloba a venda de automotivos e materiais de construção) encerre o ano de 2015 com retração de 2,9%, o que irá refletir diretamente nos números de contratações temporárias.

A Fecomércio já prevê que o número de trabalhadores temporários admitidos em São Luís deverá ficar entre 1 mil a 1.500 novas vagas criadas, o que representa apenas 50% das contratações feitas no ano passado.

Setores que mais contratam são os supermercados, lojas de vestuário, brinquedos e artigos de decorações, além dos setores de serviços, como restaurantes. Já a média de permanência do trabalhador temporário é de três meses, podendo ser prorrogado por mais três meses, nos casos de alta temporada. Este ano, especificamente, os empresários do comércio deverão atrasar no máximo a contratação de novos empregados, em razão da crise e da baixa insistente nas vendas.

Com isso, a previsão da Fecomércio seria que as empresas começassem a contratar a partir deste mês de novembro, para que esses novos trabalhadores fossem treinados para atender os clientes de modo satisfatório pois geralmente esse aumento deverá se concentrar basicamente em dezembro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário