quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Vamos dar a "Helena" o que é de "Helena" : Progressos na Saúde!!!

Bem como vem sendo frisado no blog algumas das ações da Prefeitura de São Luís, é nosso dever reconhecer que a gestão da Semus, que tem se mostrado cada vez mais eficaz, profissional e competente, realizando trabalhos e projetos de melhorias para enaltecer assim a qualidade dos serviços prestados à população da capital. O trabalho da Secretária Municipal de Saúde, Drª Helena Duailibe, vem se mostrando cada vez mais capaz de estimular o desenvolvimento da saúde em São Luís... Chamamos atenção para os últimos trabalhos da pasta:
Ampliação de hospitais de grande demanda como:

Hospital da Mulher;
Além das intervenções em 14 postos de saúde, e centros de saúde.

A exemplo temos a situação do Socorrão ll que teve um desafogamento de seus corredores, que outrora poderia ser visto cheios de macas e pacientes, agora com o excelente trabalho realizado tanto pela Semus, quanto pela Drª Adalgisa Viegas, vemos uma realidade totalmente diferente e satisfatória no que diz respeito ao progresso almejado pelos usuários do sistema de saúde público. 
Como dizem que tem gente que só acredita vendo ai esta!


E ainda ressaltando parte da fala da Secretária de Saúde de São Luís no Seminário "Ações Estratégicas para uma nova política de Gestão Municipal em Saúde", "Fizemos muito no ano passado, porém é preciso avançar mais, com avaliação crítica e planejamento. Esta é uma determinação clara do prefeito Edivaldo e, com a ajuda mútua dos servidores da saúde e o apoio da administração municipal, podemos consolidar a transformação no setor, que tem uma grande demanda", destacou Helena.

Helena Duailibe lembrou ainda aos gestores a necessidade de melhorias em determinados serviços, especialmente no que se refere à Ouvidoria. "É preciso torná-la ainda mais funcional e conhecida pela população, que muitas vezes nem conhece esse canal de comunicação e não sabe que suas críticas e sugestões podem ajudar a melhorar os serviços", informou

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Semus no combate a Hanseníase!

Por Agência São Luis


A Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semus), realizou na manhã desta quarta-feira (28) na Praça Deodoro, ações de conscientização para o controle da hanseníase. As atividades, desenvolvidas por técnicos da Semus, incluíram palestras, consultas e exames para diagnosticar a doença. Durante a mobilização, que marcou a programação da Semus pelo Dia Mundial de Luta contra a Hanseníase, foram feitos mais de 200 atendimentos. Na administração do prefeito Edivaldo, a secretaria tem intensificado as ações de combate a doença, com a implantação do Programa de prevenção à Hanseníase nas Unidades Básicas de Saúde.

A hanseníase é uma doença causada por bactéria e atinge especialmente a pele e os nervos. Pode ocorrer em homens e mulheres e até em jovens. A coordenadora do Programa de Controle da Hanseníase da Semus, Delma Brito, destacou que a prevenção ainda é a melhor forma de evitar a doença. "Trata-se de uma enfermidade grave, porém com tratamento disponível na rede pública da cidade. É muito importante que o cidadão se previna e, a qualquer possível sinal da doença, procure o posto de saúde para os procedimentos clínicos", disse.Entre os sintomas mais comuns da doença está o aparecimento de manchas na pele e perda da sensibilidade. O auxiliar de Serviços Gerais, Dionísio Barbosa, morador do bairro Coroadinho, esteve na Praça Deodoro e se submeteu ao exame para saber se tem hanseníase. "Há alguns meses, começou a aparecer uma mancha na minha perna. Agora está nascendo outra. Como estava aqui no Centro, decidi parar para saber se tenho a doença", disse.

Dados da Semus apontam que ano passado foram diagnosticados na capital maranhense 482 casos de hanseníase, índice inferior ao registrado em 2013, quando 569 casos foram confirmados.

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

IMAGEM DO DIA!!!


É triste mais é realidade!

METAS ATINGIDAS!

Município atinge meta de campanha de vacinação contra pólio e sarampo

 
 
Da Redação
Agência São Luis
 
A Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semus), atingiu a meta estipulada pelo Ministério da Saúde de vacinar 95% do público-alvo contra a poliomielite e o sarampo. No total já foram vacinadas contra a pólio 66.357 crianças maiores de seis meses e menores de 5 anos de idade. Contra o sarampo foram aplicadas 57.448 doses da vacina.
De acordo com a secretária da Semus, Helena Duailibe, o cumprimento da meta da campanha reforça o compromisso da administração municipal em proteger a saúde da população. "Por determinação do prefeito Edivaldo, intensificamos a divulgação das ações de imunização, por meio de campanhas educativas e mobilização de profissionais. Essas medidas nos levaram ao índice extremamente satisfatório de 95% do público-alvo imunizado", destacou a secretária.
O Município cumpriu com a meta estabelecida pelo Governo Federal, disponibilizando as vacinas em 66 postos de saúde distribuídos pela cidade, além de realizar dois dias D de mobilização no ano passado (8 e 22 de novembro), com a disponibilização de 100 unidades volantes em shoppings, escolas e associações de moradores.
Durante a campanha, a Semus também tomou medidas preventivas, com o objetivo de evitar casos de contraindicações da vacina. Para garantir a proteção imunológica com segurança, os pais ou responsáveis que levaram as crianças aos postos de saúde foram questionados sobre uma possível alergia das crianças ao leite de vaca. Nos casos em que não houve registro de alergia, a criança recebeu a dose da vacina normalmente.
A Prefeitura planeja diversas ações para o setor de imunização em 2015. "Cumpriremos nosso cronograma de vacinação. A população pode ficar tranquila que não estamos medindo esforços para evitar surtos de enfermidades e, dessa forma, deixar o ludovicense livre de qualquer doença mais grave", frisou Helena Duailibe.
Apesar do encerramento da campanha, doses de vacina contra a poliomielite e o sarampo continuam à disposição da população nos postos de saúde da capital maranhense, para o atendimento às novas demandas

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Repercussão negativa incomoda Flávio Dino e ele tenta se explicar sobre o convento das Mercês

Por Marco D'ça


Não repercutiu bem para o governador Flávio Dino (PCdoB) a decisão de desalojar do Convento das Mercês o acervo da Fundação da Memória Republicana, que conta a história da Nova República no Brasil.
E o desastrado vídeo em que os secretários Márcio Jerry e Bira do Pindaré debocham da situação, inclusive com palavrões, manchou ainda mais a imagem do novo governo.

Hoje pela manhã, o colunista do jornal O Globo, Jorge Bastos Moreno – um anti-Sarney empedernido, criticou a decisão do governo Dino, de fechar a fundação.

- Tenho maior respeito por Flávio Dino, acho ele incapaz de gestos pequenos. Mas  fechamento do memorial de um ex-presidente é drástico - afirmou Moreno, em seu perfil no twitter.

O colunista ressaltou ainda não ser a favor de Sarney, mas sim da história, o que levou o próprio Dino, viciado no Twitter, a tentar se explicar:

- Convento das Mercês, de 1654, está em situação deplorável, ameaçado de desabamento, com escoras de madeira em várias estruturas - disse Dino.
Mas o comunista não teve como esconder suas intenções, ao afirmar, no mesmo Twitt: - O que for de interesse da história será totalmente preservado. O que for abusivo não pode ser pago com dinheiro público.
O fato é que a patacoada do novo governo na Fundação da Memória Republicana repercutiu mal no país.
Imagine se o restante do país assistir ao vídeo onde Jerry e Bira ridicularizam e debocham da situação…

Perseguição, vingança e ódio; essa é a imagem que Flávio Dino transmite!

Por Daniel Matos


O que esperar de um governo que se move pela vingança? Definitivamente, as perspectivas não sãos as melhores. Em apenas 20 dias, a atual gestão já deu aos maranhenses amostras claras de que está disposto a perseguir quem bate de frente com o modo extremista de governar ora em prática no estado. Pelo que se viu até agora, a impressão que se tem é que o futuro do Maranhão não será de bonanças, pelo menos nos próximos quatro anos.
Como bem registrou o imortal Joaquim Itapary, o grupo que atualmente comanda o Estado parece brincar de governar. E o que é pior, os novos ocupantes do Palácio dos Leões estão visivelmente perdidos, sem a menor noção de prioridade, muito menos da grandeza que representa a tarefa de conduzir uma unidade da federação rumo ao melhor destino.
Nem mesmo o povo é poupado da sanha vingativa e da perseguição contumaz que hoje imperam no Maranhão. Que o digam as dezenas de milhares de servidores públicos estaduais, que por imposição do novo governador, não mais receberão seus salários dentro do mês trabalhado, sofrendo, com tal medida, transtornos financeiros, como o atraso de pagamentos de dívidas e o consequente acréscimo de juros às suas contas.
Vale ressaltar que grande parte desses funcionários, provavelmente a maioria, votou em Flávio Dino para governador. Muitos até fizeram campanha para ele, na esperança de obter alguma melhoria para si a para suas famílias. Hoje, menos de um mês após a posse do novo governante, multiplicam-se as vozes de arrependimento. E a tendência é que o coro engrosse, pois nada indica que cessarão os equívocos, omissões, contradições e ideias mal-sucedidas que marcam este curto período em que o Maranhão está sob o jugo comunista.
É de impressionar a voracidade com que os atuais donos do poder se lançam em direção ao Convento das Mercês, com o único propósito de desqualificar o acervo cuidadosamente reunido e doado ao povo pelo estadista José Sarney durante o seu mandato presidencial. Fazem isso para atingir um adversário político, sem se dar conta de que cometem um atentado criminoso à memória do Brasil.
Um governo que não admite o confronto de ideias atrai para si a pecha autoritária tão comum ao fascismo. Enquanto cultiva o ódio extremo, o grupo dominante de agora deixa de realizar ações que mantenham o Maranhão no rumo do desenvolvimento, como vinha ocorrendo nas últimas duas décadas.
A cada dia, a atual gestão deixa transparecer que está desnorteada, tomada por catarse e pelo deslumbramento típico dos despreparados. A postura é de quem ainda não desceu do palanque, talvez por não saber o que fazer além propagar discursos. Na verdade, muito do que os novos governistas dizem não encontra respaldo na prática, seja por incompetência, seja por pura má vontade.
O governo apenas começou. Portanto, há tempo de sobra para que Flávio Dino mostre de fato a que veio e evite que seus conterrâneos amarguem uma decepção histórica.